O que as histórias da Lema 21, Wine.com, Pet Love e Baby.com têm a ensinar a quem quer entrar no comércio eletrônico.O e-commerce brasileiro deve movimentar R$ 28 bilhões em 2013, o que representa um crescimento estimado de 24% em relação ao ano passado. Números tão pujantes, que só vem aumentando nos últimos anos, fazem crescer o interesse de empreendedores dos mais diversos segmentos de todo o país em abrir seu negócio na internet. Novas lojas surgem todos os dias e tudo o que se relaciona ao tema atrai um grande número e interessados. Por isso não espanta que o evento promovido pelo Estadão PME sobre os desafios do e-commerce no início de setembro em São Paulo tenha ficado lotado.Como convém aos empreendedores de hoje, mostraram bastante pé no chão mostrando as dificuldades do dia-a-dia. “E-commerce é difícil. Tem que atender rápido, entregar rápido, ter bom produto e preço menor”, em resumo. E através de exemplos também trataram de desfazer qualquer sonhos de que basta uma boa ideia para ter sucesso ou de retorno imediato. Se os negócios já não contaram desde o início com grandes investimentos iniciais (caso da Lema 21 e Baby.com) as operações levaram anos para se consolidar, a custa de muitos sacrifícios, caso da Wine e Pet Love.
No segundo debate, ensinaram que um e-commerce só se consolidará no mercado de hoje com o apoio de um investidor, e de que os investidores hoje só se interessam por projetos viáveis e inovadores. Abaixo, os cinco pontos essenciais abordados:

Uma boa ideia sozinha não vale nada
É importante estruturar um modelo de negócios e montar uma boa equipe capaz de viabilizá-la.

  • e-commerce é caro e complexo
    e-commerce em si é um tirador de pedidos. Para que ele funcione de forma eficiente é necessário ter tecnologia e estrutura, muito investimento em marketing e database marketing (conhecimento do consumidor).
  • Não existe fórmula pronta
    Sucesso envolve estudo do mercado, paixão, entender o produto, o cliente e o mercado.
  • Investidor só vai se interessar por um negócio inovador e viável
    Hoje só atrai interesse negócio que resolver um problema muito grande do cliente de forma diferenciada, e que se mostre sustentável à médio prazo.
  • Não procure um investidor somente atrás do dinheiro
    Existem vários perfis de investidores e deve-se procurar aquele que melhor se encaixa ao seu modelo de negócio. Além de recursos financeiros, o investidor pode contribuir com parcerias, networking, conhecimento e experiência, etc.

A artsweb tecnologia atua também como parceira de recursos tecnológicos, networking, conhecimento e experiência em comercio eletrônico. Entre em contato e traga seu projeto!